Luta contra a dengue avança no Estado de São Paulo

Luta contra a dengue avança no Estado de São Paulo

Curtir
230
0
quarta-feira, 22 fevereiro 2017
Dicas

São Paulo vem vencendo a batalha contra o Aedes aegypti com a redução dos focos do mosquito e queda significativa no número de casos de dengue, chikungunya e zika.

Os dados mais expressivos, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, estão relacionados à dengue. Em 2016, o número de casos da doença foi reduzido em 76% e o número de óbitos apresentou queda de 80%. Em 2015, foram registrados 684.830 casos contra 162.043, em 2016. Já o número de óbitos caiu de 488 para 97, no mesmo intervalo de um ano.

Em 2017, até o momento foram confirmados 47 casos de dengue e uma morte em decorrência da doença. O número é bem inferior ao registrado no mesmo período de 2016, quando ocorreram 49.948 casos e confirmadas 44 mortes.

Mesmo com os resultados positivos, a luta contra os focos do mosquito transmissor das chamadas arboviroses deve prosseguir com intensidade, defende o coordenação da campanha “Todos Juntos contra o Aedes aegypti”, que ganhou a adesão de prefeituras e da sociedade civil, mas que precisa do apoio de mais instituições.

Decreto do Governo do Estado que vem sendo renovado a cada trimestre, estipula a composição de brigadas, que são grupos de trabalho formados em órgãos da administração pública direta e indireta do Estado e fundações, compostas por no mínimo três pessoas, nas representações públicas existentes nos municípios. Essas brigadas estão encarregadas de ações de vistoria para detectar possíveis focos do mosquito, que acontecem todos os sábados, além de divulgar esclarecimentos sobre a campanha.

Mobilização continua

Em nota de esclarecimento, a Sala de Situação da campanha, composta por secretarias, órgãos  e empresas públicas, entre as quais a Secretaria da Saúde e a Coordenadoria da Defesa Civil, reforça a importância da estratégia adotada de ampliar a cobertura de visitas domiciliares e a ampliação da mobilização.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, foram vistoriados mais de 42 milhões de imóveis, no período de janeiro a dezembro de 2016, para eliminação de focos de mosquito, e 744,9 mil imóveis, somente no mês de janeiro deste ano.

A nota ressalta que as ações da campanha têm apresentado resultados positivos  “na diminuição da infestação de Aedes e na consequente diminuição dos casos de dengue, chikungunya e zika”. Ainda assim, a incidência de chuvas, características do verão e o maior deslocamento da população na temporada de férias, reforçam a necessidade de manter a atenção sobre os focos do mosquito e de manter a mobilização.

A nota tranquiliza a população ao afirmar que a saúde pública está alerta aos sinais da febre amarela e a ocorrência de casos e óbitos entre a população, Como o Aedes aegypti foi o principal vetor de transmissão da doença na epidemia ocorrida na década de 1940, é preciso continuar os esforços de mobilização na campanha contra o mosquito.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.